quarta-feira, 30 de maio de 2012

IRONMAN 2012, MISSÃO CUMPRIDA!

Nesse mesmo ano de 2008 eu estava retornando aos esportes, digo retornando porque em minha infância e juventude sempre pratiquei esportes, handeboll principalmente onde tive a felicidade de participar de campeonatos e conquistar bons resultados.
Após esse período e muito próximo aos 18 anos iniciei aquela fase de baladas e mais baladas, para mim felizmente isso tudo foi muito rápido, logo entrei no exército, conheci minha esposa, namoramos, tivemos nosso primeiro filho e casamos.
Meu esporte o qual graças a meu pai que praticava desde muito cedo era o aeromodelismo, uma paixão a qual aprendi a gostar desde pequeno e até hoje gosto muito. Foi e é um esporte maravilhoso também, não exige fisicamente mas se você quer se aperfeiçoar exige muito treino técnico e dedicação.
Voltando a 2008 onde estava na faculdade cursando Direito tinha uma patota de futebol de salão, jogava 1 vez por semana e cada jogo era uma final de copa do mundo, até briga saia, uma beleza.
Certa época entrei a convite de um amigo para um grupo de Stantish e acabei conhecendo o Fábio( PEZÃO), que naquela época fazia parte do grupo BIKE 100 LIMITES DE Blumenau, logo iniciamos uma amizade e as conversas sobre bike sempre iam fluindo e fui me interessando em retornar ao esporte começando com a bike.
Naquela época eles estavam fazendo os Audax de 200 e 300kms, nossa, eu pensava comigo mesmo como era possível.
Disse a minha esposa sobre a vontade de começar a pedalar e ela achou bem legal até mesmo porque eu estava meio gordinho naquela época, me incentivou ao ponto de me presentear com uma bike STATUS DE 18V.
Eu e meu cunhado fizemos os primeiros treinos juntos, saia da minha casa as 5 da manha e ia até o final da rua XV de novembro, lá tinha um ponto de taxi e precisava fazer uma parada para beber água pois estava cansado, isso após 8kms e nosso percurso era de 16kms.  Quando estávamos bem treinados combinamos de fazer um treino longo até Navegantes onde levamos aproximadas 4 horas, somente de ida.
Após aquele dia eu achava que estava em condições de poder entrar para o 100 limites mais minha bike era inadequada. Decidi montar uma bike melhor, já com a bike pronta encontrei os amigos do bike 100 limites num domingo de manhã de fronte ao restaurante cantinho da mãe, onde era o ponto de encontro para a saída dos pedais de terças e domingos. Ali se decidia na hora o roteiro, naquele dia era dia de fazer o trecho do calado.
Calado foi como eu fiquei a partir do km 20 aproximadamente quando iniciava as primeiras subidas da região da casacata Carolina – Belchior. Um visual lindo que naquele dia eu não apreciei muito mas posteriormente aprendi a gostar. Minha bike toda desregulada com o selin apontando pra cima e as câimbras puxando de tudo quanto é lado, a cada final de subida o pessoal esperava eu chegar todo acabado.
Lembro bem quando decemos o ultimo morro e saímos no asfalto e o pezão me esperava e eu disse a ele toca que vou no meu ritmo, me arrastando poderia melhor dizer. Mais tarde soube que a conversa deles era tipo se eu retornaria algum dia a pedalar ou se era o fim naquele mesmo dia.
Foi difícil, mas ali era minha estréia no MTB e após aquele dia comecei a melhorar aos poucos o pedal e foi surgindo novos amigos, xixo, Lenhador, Marquinhos, De Paula, Ferreira, os profissionais que a gente tanto se espelha, Pingüim, Valmor e tantos outros amigos de pedal que a gente acaba esquecendo. Desse momento em diante o aeromodelismo que era meu esporte preferido foi ficando de lado e as bikes tomaram conta. Vieram outras bikes novas e algumas provas e novos desafios logo surgiriam.
Junto com Marquinho e Pezão fizemos os AUDAX 200 em Floripa e 300km em Criciúma, até então meu maior desafio, foram 16horas de prova com 3500 metros de ascensão, uma prova memorável onde exigiu muito controle psicológico para a conclusão.
Em 2010 lembro bem que já tinha uma certa experiência na bike contando já com mais de 10.000kms rodados e certo dia em visita a um cliente “LUMIX”, por acaso troquei umas palavras sobre bike com aquele cara que eu mantinha até o momento um contato apenas profissional e ele me dissera que tinha como objetivo um dia fazer um IRON, o PUMA, que já treinava para seu primeiro IRON, mas muito tranqüilo como de costume se limitou a falar pouco do assunto, até mesmo porque não me conhecia a tempo.
Lembro bem que em 2010 pude prestigiar essa fera no seu primeiro IRON, um amigo que me ajudou muito nessa minha caminhada. Eu naquele momento já tinha decidido que queria fazer um IRON, mas tinha dois complicadores, não sabia nadar e ainda estava na faculdade e não teria tempo para treinar. Ainda não sabia quando seria mas a vontade de fazer um IRON já era grande. Lembro bem que após o IRON do Puma estávamos junto de amigos em uma janta no restaurante chinês e disse na mesa que faria um IRON, fui surpreendido por minha esposa que disse que eu não teria condição de fazer pela dimensão da prova, disse a todos naquele dia que ali seria o marco inicial e que o desafio estava lançado.
Muita água iria rolar ainda...
Não lembro bem ao certo o dia em que comecei a treinar com Paulinho, mas foi através de meu amigo Ferreira que cheguei na SPRINT,  foi também por causa desse cara, FERREIRA, meu amigão e parceiro de muitos treinos e ótimas conversas que comecei a corrida a pé. Eu acompanhava sua trajetória de atleta e procurava seguir seus caminhos pois via que estava dando bons resultados e um dia perguntei quando ele teria um treino de corrida que gostaria de tentar acompanhá-lo. Acho que foi 5kms aquele dia e ele muito gente boa disse que fui muito bem, que tinha jeito para a corrida e eu muito inocente acreditei! Ai pensei , corro, pedalo, só falta nadar... Vamos com calma dizia para mim mesmo. Logo em seguida tinha a vontade e necessidade de uma orientação para poder treinar certo. Começou a fase Sprint, equipe, coletivos, treinos, retornos, objetivos, metas e uma amizade com o Paulinho também.
Nesse período tem duas pessoas que menciono aqui também que acabei conhecendo e que estiveram ao meu lado nessa jornada, Marquinho e Kdinho, dois IRONS que me apoiaram, ajudaram muito na construção e formação de meu IRON.
Além de todos treinos, tenho que mencionar aqui que tive o Paulinho também como um amigão nessa caminhada, além de treinador um amigo para poder ouvir o que se passava ao meu redor, o que acontecia em minha vida e para logo sempre tentar passar o melhor caminho e estratégia a seguir. Esse caminho foi muito louco, teve surto de minha parte, teve muito dia em que o treino começava sorrindo e terminava chorando.
Chorando mesmo, sonhando acordado com o tapete, com o pórtico de chegada, com meus familiares chegando comigo e chorando também pensando que algo poderia dar errado, de medo.
Um dia esse treinador me ligou e me deu um puta esporro e disse que iria me dar toda condição de me tornar um IRON, eu só não podia amolecer, aquele dia levei um chacoalhão e acho que acordei.
Foi muita coisa acontecendo e acho que nestes dois, três últimos meses foram os mais cruéis nessa minha fase IRON, a vida as vezes nos coloca diante de situações bem difíceis, cheguei a pensar em só ver os problemas e abandonar achando que não teria cabeça para fazer o IRON. Certo dia o Paulinho disse, que bom que você tem o IRON, te prende a isso e soca a bota guri e foi isso que fiz, mais um aprendizado.
E diante de  muitos IRONS nessa caminhada tem um cara abençoado também, Marcão, experiente IRONMAN que me passou muita força e energia positiva com toda sua tranqilidade. Acho que consegui aprender um pouco do que você quis me passar MARCÃO, obrigado também.
Meu treinador de natação não poderia deixar de mencionar, CARLOS AUGUSTO, sai meio pela tangente algumas vezes mas atingi o objetivo, mesmo sem nadar aqueles 6000metros, até que eu não estava errado!
A um ano atrás não sabia nadar, e agora fazendo a prova da minha vida como bem falasse, foi um desafio, mas com tua ajuda, tua experiência vencemos juntos.
A natação foi meu grande desafio, para quem a poucos meses atrás teve uma crise de pânico e nadou uma prova inteira de costas até que foi legal esse dia, conseguimos virar o jogo CARLÃO!!
Acho que muitos podem achar bobagem, exagero ou valorização, mas acredito ter assimilado muito bem a lição que cada um dos amigos tentou me passar sempre quando me deu alguma dica para poder atingir o sucesso de me tornar um IRONMAN.

De coração tenho que registrar minha gratidão a DEUS por me dar saúde para poder chegar onde cheguei nesse dia, minha esposa e filhos que foram muito pacientes comigo nesse ultimo ano de treinos, meu pai, que de seu modo soube me ajudar e a torcer por mim para meu sucesso, ao meu tio Murilo de Floripa, acompanhou de perto cada treino, cada dificuldade encontrada e superada, a minha irmã e cunhado que estiveram presentes torcendo por mim e todos meus amigos que eu mencionei e desculpe se não mencionei mas que de alguma forma estiveram torcendo para meu sucesso.

TORCIDA ORGANIZADA SPRINT que me aguardou para a chegada, GERSÃO , XANDE, LEO, MARCOS FIORENTINI que lembro agora, RODOLFO loco na rua me acompanhando, valeu mesmo, SABINE, espero que tenha uma boa foto!
Me desculpem se esqueço de alguém mas obrigado geral a todos da SPRINT que gritaram por mim, me empurraram, valeu gente, foi demais.
Um grande abraço a todos e até o próximo treino.

RICARDO AUGUSTO
IRONMAN 2012.


Videos

Loading...